SER FORTE HOJE

Ana Rita Clara

SER FORTE HOJE

Não luto comigo. Se me torna feliz, aprendi a não lutar. Se me dá prazer, nem pergunto porquê. Deixo andar. Não faço da congruência um valor absoluto. Não me aflige nada gostar do preto e daqui a um ano descobrir que o cinzento é melhor. Só não muda quem é burro. A vida é isso, mudança. Se chegar à minha idade a pensar rigorosamente o que pensava aos 20, há alguma coisa errada. Ou então não viveu. A coerência é um valor, mas muito mais importante é a busca da felicidade.” (Helena Sacadura Cabral)

Estas palavras pertencem a uma das mais inspiradoras mulheres dos nossos dias. E todas nós crescemos com essas boas influências. E a minha permanece comigo, todos os dias, sempre atenta, sempre única. A minha mãe. A mulher que me ensinou a SER MULHER. Obrigada minha raínha. Este Dia também é tanto teu!

Encaremos então este momento, em que celebramos o género. E que nos recorda como é especial sermos atenciosos com as dádivas da vida. Neste Dia Internacional da Mulher, aproveito para festejar este verdadeiro prazer. De SER MULHER. De querer sempre mais, com muita emoção à flor da pele. Mas conter também o lado mais agressivo dos dias, ser resistente e resiliente. Ser guerreira, sem perder o brilho. Ser emocional, sem perder o foco. SER MULHER é ser isso tudo e muito mais.

É ter o gosto pela família e ser capaz de se anular por isso mesmo. É ser capaz de amar como nenhum outro ser, muitas vezes sem ter a certeza do risco. Mas é também ser racional no crescimento, ser determinada nos objectivos e praticar o bom senso. É maravilhar-se com mimos, mas sem esquecer o que realmente importa na Vida.

SER MULHER.

É SER TANTO, COM TANTO E PARA TUDO.

José Saramago disse um dia que “As Mulheres São Mais Fortes. Para começar, gosto das mulheres. Acho que elas são mais fortes, mais sensíveis e que têm mais bom senso que os homens. Nem todas as mulheres do mundo são assim, mas digamos que é mais fácil encontrar qualidades humanas nelas do que no género masculino. Todos os poderes políticos, económicos, militares são assunto de homens. Durante séculos, a mulher teve de pedir autorização ao seu marido ou ao seu pai para fazer fosse o que fosse. Como é que pudemos viver assim tanto tempo condenando metade da humanidade à subordinação e à humilhação?”

E o que é certo é que ainda nos dias que correm surgem movimentos de luta contra a desigualdade, de apoio à coragem do género feminino, que ainda vive em condições de subordinação, falta de reconhecimento e consideração social.

Neste Dia único, pensemos nos motivos que nos levam a AINDA celebrarmos este dia por todo o Mundo. Pensemos na grande FORÇA DAS MULHERES, naquilo que as transforma e as torna únicas. E completamente especiais, para se demarcarem na sua personalidade e individualidade. E que partam dessa valorização pessoal, para um colectivo surpreendente. Sem espaço para demagogias ou ideologias ultrapassadas. Criemos a nova forma de pensar, um novo paradigma Que privilegia a capacidade intelectual e criativa, a honestidade e a liderança no feminino. É tempo de EMPREENDERMOS. E SIM, DE SERMOS MAIS FORTES.

FELIZ DIA INTERNACIONAL DA MULHER