À descoberta de Marrocos

Fim de semana prolongado sabe tão tão bem, não sabe? Espero que o vosso tenha sido aproveitado ao máximo 🙂 Quem me segue já sabe que adoro viajar e aproveitei estes 3 dias para viajar até este destino exótico maravilhoso – Marrocos! E tenho tanto para vos contar…

Esta minha paixão por viagens e por descobrir culturas já me acompanha há algum tempo e, com a experiência que fui adquirindo, hoje procuro planear a viagem com antecedência para conseguir bons horários de voos. Esta é, sem dúvida, a melhor forma de começar uma viagem. Depois há itens imprescindíveis dos quais não abdico. Podemos dizer que são uma espécie de essenciais de viagem: uma mala resistente e segura, passaporte, máquina fotográfica e snacks saudáveis para as esperas. Mas, embora bastante organizada, há sempre aventuras que acontecem pelo caminho. Desta vez esqueci-me do biquíni em Portugal… Ahah! Dá para acreditar? Mas nada que não tenha conseguido resolver 🙂

Marrocos foi mesmo especial. Para além de ser um destino único no Noroeste de África, sabiam que foi o primeiro destino fora de Portugal que eu e o meu marido Hugo conhecemos juntos? E agora voltar grávida tornou tudo mais mágico! Foi a primeira viagem do nosso bebé e, embora os receios em viajar na gravidez possam ser recorrentes, penso que o mais importante é não ter medo de viajar nesta fase, sabendo sempre adaptar e ter atenção.

Porque, se tivermos oportunidade, valerá sempre a pena aproveitar o melhor da vida com quem amamos. E quem não gostava de acordar neste paraíso? Com sabores continentais mas com um pano de fundo com o exotismo de África.

Desta vez fiquei no Hotel Palais Namaskar, em Marraquexe. Digam lá se não é maravilhoso?

Mountain-Palace-at-Palais-Namaskar Palais-Namaskar-Main-Walkway Palais-Namaskar-Walkway Pool Water-Palace

Este hotel abriu em 2012 e foi pensado para restaurar energias e animar os sentidos. Tem 5 estrelas e fica na zona tranquila de La Palmeraie, a 25 minutos de carro do centro da cidade de Marraquexe e dos exuberantes jardins Majorelle que vou falar mais à frente. Que tal começarem o dia com uma massagem no spa ou com uma sessão de yoga relaxante? Para os mais ativos há também um centro de fitness e uma piscina totalmente equipada. Ao final da tarde, um chá de menta marroquino no lounge do bar antes do pôr do sol. À noite, a escolha fica entre os pratos de inspiração marroquina ou a autêntica culinária tailandesa num dos restaurantes do hotel. Este é um lugar que nos prende pela arquitetura tradicional de estilo mourisco e pelos interiores contemporâneos de tons suaves.

É um verdadeiro oásis de tranquilidade que, todos os Domingos, oferece também um Fashion Brunch – um brunch ao sabor de um desfile de moda com trajes tipicamente marroquinos.

Se a sugestão de lugar onde ficar não for suficientemente apelativa (o que acho difícil 🙂 ), há imensas coisas e lugares que podem fazer para aproveitar Marrocos ao máximo, um lugar onde também existe muita poesia e arte urbana:

1) Conhecer o jardim majorelle – fica no centro de Marraquexe e é um jardim botânico inspirado nos jardins islâmicos cujo nome se deve ao seu fundador, o pintor francês Jacques Majorelle. Aqui também funciona um museu de cultura berbere e, pelas imagens, poderão reconhecê-lo por ter sido comprado pelo criador de moda Yves Saint Laurent e por Pierre Bergé, pertencendo hoje à Fundação Jardim Majorelle. Lindo!

Jardim Majorelle

2) Perdermo-nos numa das principais medinas de Marrocos – nomeadamente Fez, Marrakech, Rabat, El Jadida, Essaouira, Casablanca, Chefchaouen, Asilah ou Taroudannt. A Medina é a parte mais antiga da cidade que está rodeada pelas muralhas do século XII. Ao passearmos por estas ruas sentimos que estamos noutra época. Poderão ouvir o chamar para a reza feita a partir da grande mesquita Koutoubia Minaret, sentir o cheiro das especiarias, do chá de menta marroquino… Este lugar pertence ao Património Mundial e é, sem dúvida, uma visita obrigatória. Para além disso, as medinas caraterizam-se por um emaranhado de ruas e becos. Pode dizer-se que chegam a ser verdadeiros labirintos. Ahahah! No centro das medinas existe geralmente uma praça principal, da qual saem várias avenidas que levam para o exterior das muralhas e é também no centro que fica a Grande Mesquita.

13454622_s8Qqq

3) Visitar o Museu de Marrakech – um lugar que tem sempre exposições temporárias com artistas marroquinos e também exposições permanentes espalhadas pelas várias salas deste magnifico palácio do século XIX.

marrakech-museu-de-marraquexe-blog-vontade-de-viajar1

4) Conhecer a Praça Jamaa El Fna – é aqui que encontram toda a loucura e folia da cidade. Domadores de macacos, músicos de rua, encantadores de serpentes, tatuadoras de henna (experimentem fazer uma), dançarinos, acrobatas, restaurantes, carroças com burros, motas e milhares de pessoas. Ideal irem a uma sexta feira ou sábado à noite.

6826971

5) Descobrir os mercados e a cultura nos Souks de Marraquexe – um convite a explorar kms de lojas com um pouco tudo: do artesanato marroquino, à comida, tapetes, joalharia, roupa, cerâmica, tecidos, perfumes, especiarias e tudo o que possam imaginar.  As cores, os aromas e a vida destes mercados são mesmo incomparáveis e os preços são quase todos possíveis de regatear, por isso, não se inibam.

858365_10152572596355327_1037149558_o

1143-marrakech-medina-spices

6) Relaxar ao sol quente

Water-Palace-Pool

7) Provar sabores típicos. Experimentem jantar no restaurante Bo & Zin. É o hotspot da cidade e oferece uma viagem onde os sabores asiáticos são combinados com os marroquinos e, assim como os clássicos da cozinha internacional.
À tarde, as espreguiçadeiras recebem multidões com os seus mojitos e um DJ. À noite a área do bar transforma-se em discoteca improvisada. Um lugar com estilo e elegância, jardim exótico, uma decoração deslumbrante e boa música. Peçam uma mesa no jardim, com um ambiente rodeado de tochas e tendas privadas. 🙂

761

TSJ_Bo__Zin_Restaurant_Marrakech_Morocco_1000X667_01

Gostaram destas sugestões? Partilhem também as vossas na zona de comentários deste post! Curiosa por saber… 🙂