Eu acredito

Eu acredito

Vivemos tempos de mudança. E sentimos isso até nas mais altas esferas da religião. Um Mundo controverso, onde a Fé e a política convivem, e onde a actualidade nos vem provar que é na simplicidade que reside a verdadeira paz e felicidade. O Papa Francisco vem também ligar-nos de uma nova forma aos valores humanos e a um estilo de estar na vida que protege os fortes, mas acolhe e abraça todos os estratos, raças, sexo e orientações. O papa Francisco aterra hoje em Fátima. Uma terra onde me emociono sempre que lá vou. Que visito várias vezes. E onde me sinto em paz. É sempre difícil falar destes temas, sem remetermos para algo que nos ultrapassa, nem conseguimos explicar muito bem. Mas quem já foi sabe do que falo. É um ligação que agrega crentes e não crentes. Praticantes ou não praticantes. E as peregrinações, o 13 de Maio e toda esta euforia boa que se vive no nosso país, pelas celebrações em causa, mostram-nos o quanto precisamos de estar unidos. O quando precisamos de dar e receber Amor. 

O facto do Papa usar uma linguagem simples, sair da cadeira para abraçar as pessoas, dar a 150 pessoas sem-abrigo a oportunidade de visitar a Capela Sistina. “Não são gestos de uma idiossincrasia instantânea, mas que resultam da forma como ele vê o Ministério Petrino, que se enraíza, acima de tudo, no modelo de Jesus.”

Devemos estar mais próximos da nossa fé interior, daquilo em que acreditamos.

E que seja sempre o Amor, esse estado que nos ilumina hoje e sempre. Sejam bondosos uns com os outros. E procuro praticar sempre o bem, com humildade e compaixão. E é esse meu estilo que eu desejo passar ao meu filho. Porque no fundo, somos todos iguais. Mas a forma que escolhemos para nos relacionarmos com o mundo, com os outros. Até a maneira como vivemos o Amor, diz muito de nós.

 

E eu sou pela natureza boa das pessoas.

Eu acredito.

Créditos: Foto de destaque: Key word suggests | Foto 2: I am faihtful