Vamos todos ajudar

Acordamos ainda com este pesadelo a decorrer no nosso país. Este fogo que não tem fim, que não perde tempo e que leva tudo. VAMOS TODOS AJUDAR! É nestes momentos que valorizamos tudo o que temos, que colocamos de parte o que é pequeno e nos tornamos mais humanos, mais UNS PELOS OUTROS!

Para continuarmos a ajudar, existem varias formas de o fazer através da doação de bens que pode ser feita em vários quarteis de bombeiros (ver aqui):

– Água oxigenada
– Compressas
– Ligaduras
– Alimentos secos
– Água
– Lençóis
– Cobertores de verão
– Atoalhados
– Roupa de criança
– Soro fisiológico (urgente)
– Pomadas para queimaduras
  • A Associação Académica de Lisboa está a recolher bens como águas, comida, bens de higiene e roupas durante o dia de hoje até às 17h00 (ver aqui)
  • A  linha solidária “ABRAÇO A PORTUGAL” que a SIC criou:
    760 100 100 contribui-se com 50 cêntimos (preço/chamada: 0,60€+IVA)
    ou através dos números de transferência bancária:
    NIB – Número de Identificação Bancária
    0010 0000 53528870001 20
    IBAN – Número Internacional de Conta Bancária
    PT50 0010 0000 5352 8870 0012 0
    SWIFT/BIC
    BBPIPTPL
  • Existem crowdfundings criados por cidadãos como este:
    https://ppl.com.pt/pt/causas/ajuda-pedrogao

  • Conta Cáritas (Caixa Geral de Depósitos): 0001 200000 730
    IBAN PT50 0035 0001 00200000 730 54
  • Conta “Unidos por Pedrógão” da Caixa Geral de depósitos que doou 50 mil euros para apoiar as vítimas: 0001 100000 330
    IBAN PT50 0035 0001 00100000330 42
  • Associação Portuguesa dos Bombeiros Voluntários
    IBAN: PT50 0033 0000 45479781423 05
  • Fundo de Emergência Cruz Vermelha
    IBAN: PT50 0010 0000 36319110001 74
VAMOS AJUDAR AS VITIMAS DESTA TRAGÉDIA.
Quanto aos bombeiros e todas as forças especiais que dão tudo para que existam sobreviventes e menos danos a estas vítimas, as palavras são muito pouco para vos agradecer!
Os nossos heróis serão sempre vocês. A mudança terá que acontecer, teremos que transformar o que se repete todos os anos. E neste ano, da forma mais grave e agressiva que alguma vez vivemos.
Paremos para reflectir sobre o que podemos FAZER para que nunca mais se repita o que ainda estamos a viver. E que este pesadelo chegue ao fim rapidamente.
A perda e a dor, não chegam nunca chega ao fim, é certo. Mas todos juntos, ao darmos um forte abraço, podemos apaziguar essa dor tão gigante.
AJUDEM A AJUDAR!