O mundo precisa de voz |  “Uma Sequela Inconveniente”

O mundo precisa de voz | “Uma Sequela Inconveniente”

A sustentabilidade é um assunto que, cada vez mais, está na ordem do dia. Estou atenta a este tema porque defendo o mundo onde vivo e gosto de cuidá-lo. Infelizmente este temática tem sido posta em causa, e todos os avanços neste sentido podem estar a ser menosprezados por questões políticas.  É nestes momentos que o nosso mundo precisa de voz. Precisa que falemos sobre este assunto, que falemos sobre as alterações que sentimos recorrentemente. Os incêndios que deflagaram florestas devido às temperaturas demasiado altas, os nevões raros que se sentem e causam mortes (como acontece agora no Chile). Al Gore, o ex-vice-presidente dos EUA, sempre foi uma voz importante na problemática do ambiente. Após ter lançado “Uma Verdade Inconveniente”, passados 11 anos, lança agora um documentário que dá seguimento às suas ideias anteriores. Uma “Sequela Inconveniente” é o novo trabalho que pretende abrir os olhos e consciencializar a população sobre as alterações que o nosso planeta sofre actualmente. Para além disso, e é aqui que o título ganha sentido, Al Gore revela para onde caminhamos em termos ambientais através do choque e de verdades inconvenientes que mostram como as políticas internacionais, o crescimento da produção em massa, ou até mesmo os nossos hábitos quotidiano contribuem para as alterações que assistimos. Esta é mesmo uma sequela inconveniente que dá voz ao nosso planeta. Que estejamos todos consciencializados que o mundo precisa de uma mudança.

 

Após o lançamento de “Uma Verdade Inconveniente”, o ex-vice-presidente dos EUA Al Gore, passados 11 anos, lança agora um documentário de seguimento das suas ideias anteriores numa “Sequela Inconveniente”.

Para quem não viu ainda o anterior (lançado em 2006), recomendo vivamente que aproveite um pouco das suas férias para ver! É um documentário que pretende consciencializar a quem o vê, e que alerta para as alterações que o nosso planeta tem vindo a sofrer ao longo dos tempos. Para além disso (e é aqui que o título ganha sentido), Al Gore revela para onde caminhamos em termos ambientais, usando como ferramentas do seu discurso, o choque e a incisão de verdades inconvenientes que mostram em que medida é que, por exemplo, políticas internacionais, o crescimento da produção em massa, ou até mesmo os nossos hábitos quotidiano enquanto sujeitos de um mundo globalizado podem contribuir, direta ou indiretamente, para as alterações ambientais que assistimos.

Desde 2006 até hoje muita coisa mudou. Na política, na economia global, na tecnologia, nas relações internacionais entre países… Será pertinente mostrar uma sequela inconveniente? Al Gore acredita que sim. A eleição de Donald Trump como representante máximo dos EUA foi uma das razões para essa sequela. Recentemente, como devem saber, os Estados Unidos da América saíram do Acordo de Paris. Um acordo que pretendia delimitar e controlar a quantidade de gases que cada país emite para atmosfera. Será motivo de preocupação para a Humanidade a retirada duma das maiores potências do Mundo desse acordo? Até agora, só vi o trailer, mas confesso-vos que estou com uma ansiedade para que consiga ver o documentário inteiro. Aqui vos deixo 😉