Que vontade de receber o Natal

Que vontade de receber o Natal

Fui desafiada pelo Lidl a falar do meu Natal. Eu adoro o Natal! E sempre adorei! E sinto que o Natal se vai transformando ao longo da nossa vida.

Começa com a magia de quando somos mais pequeninos (se bem que me sinto sempre criança nesta altura) e em que o Pai Natal é sempre alguém da família vestido com a fatiota, aconteceu teatros, muitos risos e sorrisos à volta da lareira e da mesa,  canta-se muito, celebra-se a festa e os presentes recebidos.

Depois chega o Natal mais crescido, em que a celebração é também o lindo pretexto para estarmos mais tempo juntos, porque com as vidas aceleradas e ritmos que vivemos , temos por vezes tempo suficiente com os nossos. Mas sempre com muito Amor, muita animação. Chega o leite creme especial da avó, o tio que diz sempre aquelas piadas giras, o primo que regressa a casa…é sempre tão bom!

O Natal é isso mesmo. O estarmos com aqueles que amamos. E celebramos com muita gratidão. Pelo menos é que procuro e sinto sempre.

E depois existe o Natal actual que é ainda mais especial, porque sou mãe, e porque quero passar todo esse espírito de amor e experiência ao meu bebé. Porque fico fascinada com as reações do Caetano com cada luz, com cada novo som e com cada mimo.

Haverá coisa melhor no Mundo?

Não me parece.

O Natal é antes de mais, essa passagem do que amamos, para os que amamos.

Essa contínua ligação de afectos e tradições. 

E este ano, com o meu bébe mais crescido sou capaz até de me vestir eu de Mãe Natal, para brincarmos ainda mais. 🙂

Tudo a postos para um grande Natal?