Uma noite de ouro para a igualdade de género

Uma noite de ouro para a igualdade de género

A 75ª cerimónia dos Golden Globes foi muito mais do que uma simples entrega de prémios. Na noite de ontem, em Los Angeles, escreveu-se mais uma linda página na história da igualdade de género. E é tão bom podermos ver a arte associada ao activismo, não acham? Afinal de contas, um dos principais papéis da arte é precisamente o de causar impacto e mudança na nossa sociedade. E esta é sem dúvida uma mudança para melhor, que a mim, em particular, me deixa muito, muito feliz por poder testemunhar. Hollywood vestiu-se de preto e colocou ao peito pins com a inscrição Time’s Up, numa homenagem sentida, e para lá de simbólica, às mulheres vítimas de discriminação, abuso e assédio na indústria do cinema. De facto, o tempo urge e, com ele, a resolução de assuntos como este que, infelizmente, são muitas vezes esquecidos. Entre actrizes, guionistas, realizadoras e agentes, foram várias as estrelas de Hollywood que já se juntaram a este movimento, iniciado por Natalie Portman e Meryl Streep. Mas foi da boca e do coração de Oprah Winfrey que saíram as palavras mais marcantes da noite, num discurso poderoso que deixou de pé todo o auditório do Hotel Beverly Hills:
“Cada uma de nós nesta sala é famosa pelas histórias que conta. Mas, este ano, nós tornámo-nos História. (…) Uma História que transcende qualquer cultura, geografia, raça, religião, política ou local de trabalho.”
E que melhor maneira de começar esta semana, cheia de inspiração e de vontade de tornar o mundo um lugar melhor.