Já ouviram falar do Hygge Manifesto?

Já ouviram falar do Hygge Manifesto?

O termo já anda a ser falado há algum tempo e por cá já muitos o praticam. Porém, nunca vos tinha falado sobre isto e sobre a minha admiração ao manifesto.
O povo mais feliz do muno – dinamarquês -, contagiou-nos recentemente com o segredo para apreciar a vida de uma forma mais plena e eficaz. Chama-se hygge (diz-se huga) e, tal como a nossa saudade, não tem tradução.

Trata-se de uma filosofia de vida (uma boa vida), que assenta na prática de diversas ações que nos transmitam bem-estar e contentamento, como por exemplo beber um chocolate quente com os amigos no inverno, ler um livro ou relaxar numa cama de rede no verão. É, principalmente, a escolha de momentos que nos transmitam conforto – visual e físico.
O hygge presta atenção à atmosfera que nos rodeia. Defende que é importante criar um ambiente relaxante à nossa volta, criar tempo para encontrar e desfrutar de coisas agradáveis.

É importante falar disto nos dias de hoje! Para quem é entupido de trabalho e stress durante o dia, seguir estes “mandamentos” é uma verdadeira ajuda para uma vida mais feliz. Lanço o desafio 🙂 Todos nós precisamos cuidar de nós mesmos.

O manifesto assenta em 10 “passos”:

– Ambiente. Baixar as luzes e acender velas. As velas transmitem calma e paz;

– Presença. Estar presente, aqui e agora. Abandonar, por uns momentos, a vida digital e respirar fundo;

– Prazer gustativo. Todos sabemos que o açúcar em excesso faz mal!! Mas também sabemos que nos aumenta os níveis de felicidade. De vez em quando, porque não?

– Igualdade. Partilhar tarefas. Com colegas, amigos, família. Transformar o “eu” em “nós”;

– Gratidão. Sempre. Agradecer sempre o que se tem, todos os dias. Bastam 2 minutos de reflexão;

– Harmonia. Com a vida toda, sem exageros;

– Conforto. Ficar à vontade. Descalçar assim que chegar a casa, meter música e relaxar;

– Tréguas. No drama! Ao final do dia, desligar o modo crítica. Volta-se ao ativo apenas no dia seguinte;

– Convívio. Quantas vezes adiaram aquele jantar com aquele amigo? Se não há vontade de sair, que o jantar aconteça em casa. Um esforço vai valer a pena!;

– Refúgio. Casa tem que ser sinónimo de paz e segurança.