A mulher atual | 3 mandamentos

A mulher atual | 3 mandamentos

Quando temos a clareza de quem somos, das nossas habilidades e do que nos faz feliz, conseguimos definir onde queremos chegar na vida.
Mas, afinal, o que é ser uma mulher bem sucedida? No fundo é sermos o que nós quisermos, felizes com isso. Temos esta habilidade já ensinada de darmos sempre conta de tudo… Se cansa, às vezes? Cansa. Mas há alguma coisa melhor do que cair na cama com o sentimento de que cuidámos do trabalho, dos filhos e de nós? 🙂
Principalmente, uma mulher atual e bem sucedida conhece-se bem. Sabe o que é e o que não é adequado para ela. Não passa por fazer 3 ou 30 atividades por dia. Passa por realização de objetivos pessoais, delineados por nós. Saber onde queremos ir, sem pressão.
Não há fórmulas mágicas. Porém, organizar uma metodologia por pontos pode ajudar:

– Planear bem o percurso/carreira

Quais são os seus objetivos? Que tipo de mãe quer ser? Quando se tem filhos, torna-se ainda mais importante pensar sobre isto. Quanto mais soubermos o que realmente queremos (enquanto profissionais e mães), mais fácil se torna a tarefa de conciliar todas as necessidades. Se estamos decididas a ser mães participativas, por exemplo, é fundamental procurar um ambiente de trabalho que demonstre sensibilidade por esta situação e disponha flexibilidade. Todas nós nos devemos preocupar em conquistar posições que nos permitam aumentar esta flexibilidade e neste sentido a maternidade pode ser um fator de motivação para o sucesso profissional.

– Aumentar a qualidade do tempo

O sucesso no trabalho inclui, muitas vezes, períodos de tempo escasso. Neste caso, a melhor saída é mudar de perspectiva e priorizar a qualidade em vez da quantidade. Quando estiverem com os vossos filhos, mesmo que seja por pouco tempo, esforcem-se para estar a 100%. Evitem interromper brincadeiras com o telemóvel ou estar a brincar por esforço. Mais vale fazer outra coisa. (A meditação pode ajudar esta qualidade). Há outros tipos de atividade que podem resultar melhor. Cozinhar, fazer um desporto juntos, pintar… Até faz bem para aliviar!

– Ajustar as expectativas

É importante que a vida não se tornar um fardo. É a pior maneira de lidar com a situação. Ver o lado bom: uma mãe que precise de cuidar da carreira tem, por exemplo, uma óptima oportunidade de educar os filhos para serem mais independentes, uma vez que corre menos o risco de se tornar demasiado protetora. Um bom ajuste a fazer é ver sempre o lado realista: ver o que se tem para oferecer aos filhos e ao trabalho. Nada é perfeito e por isso não vale a pena meter a fasquia cá em cima. Simplificar e não comparar. Cada caso é um caso!

Mas, mais importante de tudo e mais uma vez, não se esqueçam que não há fórmulas mágicas! Somos todos humanos e podemos errar. Sem pressão, sem medo, tudo se faz 🙂
O norte deve estar sempre na busca constante de sinceridade connosco mesmos!